Séries televisivas é o tema da revista Cultura Midiática

Essa é para os interessados em séries televisivas. A Revista Cultura Midiática está recebendo artigos para a edição de julho – Dezembro de 2015. O prazo final é 10 de Setembro e o tema do dossiê é “As Séries Televisivas Contemporâneas”, acompanhadn o universo das linhas de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGC/UFPB) (Mídia, Cotidiano e Imaginário, e Culturas Midiáticas Audiovisuais).

Veja mais sobre o dossiê abaixo e no site da revista: DOSSIÊ: AS SÉRIES TELEVISIVAS CONTEMPORÂNEAS. Chamada para artigos que comporão o dossiê da edição V. 8, n. 2 – jul/dez/2015. Para o primeiro dossiê da Revista Culturas Midiáticas, convidamos os pesquisadores a enviar artigos sobre a questão das séries televisivas contemporâneas. Os estudos de Televisão, em seu mais amplo espectro, sempre tomaram o tema da serialização como central para o entendimento das práticas culturais e dos arranjos econômicos em torno da realização dos produtos televisivos. Atualmente, com as novas condições espectatoriais que se impuseram ao fazer audiovisual (múltiplas plataformas, vídeo sob demanda, segunda tela, transmídia etc.), os modos de organização das narrativas, os estilos de encenação, a relação com o público e as imbricações entre gêneros e formatos apresentam todos mudanças cruciais, se considerarmos sobretudo os modelos dominantes da televisão do século XX. Assim como o Cinema, cujo conceito abarca hoje muito mais do que o suporte fotoquímico da película, a Televisão é também um conceito atualmente mais amplo, que não se limita à unidade da emissão eletromagnética transcodificada em um aparelho receptor doméstico. Por séries televisivas, portanto, entendemos um escopo abrangente de obras audiovisuais, ficcionais ou não, produzidas a partir do fracionamento de suas unidades basilares (episódio ou capítulo), e consumidas a partir de diversos engajamentos espectatoriais. Artigos que analisem os programas, a partir das mais variadas rotinas metodológicas, e que problematizem as especificidades das transformações em curso são bem-vindos. Os artigos de temática livre continuarão sendo recebidos para avaliação e publicação, caso aprovados, paralelamente aos artigos do dossiê.

Contracampo recebe artigos até 10 de setembro

A revista Contracampo está com chamada aberta até o dia 10 de Setembro para um dossiê com o tema “Mídia e Memória”. A revista recebe contribuições em fluxo contínuo e em setembro começa o processo de fechamento da última edição deste ano.

Veja mais sobre a ementa para o próximo dossiê:

“O dossiê sobre Mídia e Memória possibilita fomentar o debate sobre como os meios de comunicação se constituem como um lugar de memória na contemporaneidade. A proposta deste dossiê é empreender um espaço para discussões que busquem refletir sobre os processos e mecanismos de produção de sentido a partir das produções midiáticas na constituição da noção de memória social. Assim, nos interessa receber artigos que busquem discutir o papel da mídia na construção e reconstrução histórica e na transformação social. Algumas questões como midiatização da memória, memória social da mídia e produções midiáticas como construção histórica e social serão abordadas neste dossiê. Esse espaço tem como proposta refletir e fomentar a discussão sobre as relações entre mídia e memória compreendendo os meios de comunicação enquanto parte do fenômeno de construção e transformação da sociedade.”

Atenção que interessados em publicar devem ter antes das submissões

Ler a letra miúda. Aí está o ponto chave para procurar uma revista para publicação. As informações estão muitas vezes descentralizadas nos sites, o que gera um pouco de dificuldade extra para quem deseja ter o seu artigo publicado. Às vezes o artigo fica de fora porque na inscrição o interessado deixa de fora um “detalhe”. A falta da “co-assinatura” de um doutor.

Muitas vezes as revistas acabam ficando melhor conceituadas pelo número de doutores que nelas publicam, então artigos assinados somente por mestres, mestrandos ou graduandos ficam fora de cogitação. Uma alegria é quando abre-se a janela da “co-assinatura” do doutor.

Enfim, segue-se em frente buscando as revistas que tem a porta aberta, mesmo que para artigos co-assinados. A “Comunicação & Sociedade”, da da Universidade Metodista de São Paulo recebe textos inéditos, em fluxo contínuo em que mestres e mestrandos poderão submeter artigos co-assinados por um doutor em suas orientações.

Jornalismo popular e alternativo tem publicação voltada para a área

Para os interessados em jornalismo popular e alternativo há uma publicação voltada para trabalhos na área. A revista Alterjor é semestradl do Grupo de Pesquisas Alterjor (ECA/USP) e se propõe a penasar sobre a democratização da comunicação para todos os segmentos da sociedade. As normas para publicação não falam de obrigatoriedade de os artigos em serem assinados por doutores e tem espaços tanto para artigos, quanto para dossiês; nesse caso para pesquisadores sêniores, ensaios, resenhas, reportagens, entrevistas e relatórios de pesquisa. Para conhecer mais é possível ir direito ao site da revista.

Comunicação Mídia e Consumo está com chamada até o fim do mês

A revista Comunicação, Mídia e Consumo da ESPM-SP está com chamada aberta até 30 de Agosto. A temática da próxima edição é “Comunicação e culturas do consumo: contrapontos entre Brasil e Áfica” com a propsota de apresentar resultados de pesquisa sobre o eixo Brasil e Áfica.

A publicação deve acontecer no fim deste ano e a chamada está aberta também para artigos diversos, resenhas e entrevsitas. A chamada completa está aqui.